reviews

 

VIVENDO NO CIBERESPAÇO
(texto escrito para o Shipper X)


Algumas impressões nos rondam diariamente e parece que, somente em alguns momentos paramos para tentar entender o que elas significam e representam em nossa vida.

Arquivo X chegou ao fim e, então, nos reunimos para tentar fazer com que ele sobreviva em nós por mais alguns dias, algumas semanas, meses talvez.

E pensamos em estórias pra contar, pra escrever, marcamos encontros, recordamos momentos únicos, idealizamos eventos e tentamos gravar em nós sua importância, como fazemos quando algum ente muito querido se afasta de nós, por algum tempo ou definitivamente.

Nós nos impregnamos dele e percebemos que ele jamais nos deixará completamente porque habita em nós, ele foi responsável por mudanças em nossa vida, em nossa maneira de agir e pensar, assim como qualquer coisa, pessoa ou situação que tenha participado da nossa caminhada até hoje. Nunca passamos incólumes, tudo deixa marcas, boas ou ruins e é disso que é feita a nossa vida...momentos...

Impossível esquecer nossos encontros, banhados em lágrimas ADAS, gritos estridentes de pura alegria, seguidos de gargalhadas sonoras e comentários apaixonados.

Quantos de nós, ao ver algum episódio pela primeira vez não imaginou que a estória poderia ter sido escrita desta ou daquela forma ? Ou não idealizou um outro final e pensou numa boa continuação ? 
Quantos de nós não vencemos a barreira da timidez e da insegurança e acreditamos ser possível colocar no papel idéias que discutíamos apenas com nossos travesseiros ?

Arquivo X fez brotar talentos que apenas esperam ser lapidados, para criarem asas e soprarem ao vento trazendo ao nosso meio, instantes de puro prazer ao sermos levados a viajar e sonhar com eles, que nos façam pensar, rir e chorar e esta semente jamais poderá ser ceifada porque está plantada profundamente em terra fértil.

Há bastante tempo que eu não escrevia um comentário sobre alguma fic, mais por falta de tempo e inspiração do que por qualquer outro motivo, mas vendo nossa série chegar ao fim, não poderia deixar de comentar sobre as mudanças que o seriado fez na vida daqueles que tomaram a pena e deixaram que nós partilhássemos das fantasias que suas mentes criativas elaboraram.
Quem de nós não sofreu nas malhas de suspense e tensão tecidas pelos dedos ágeis e pela mente privilegiada de nossa mais constante half shipper Claudia Modell ? Ou alguém conseguiu não entrar em pânico lendo Demônio Interior ou não disfarçou as lágrimas só de imaginar que a Scully pudesse realmente nunca ter voltado ? 

Nos momentos de angústia que vivemos ao lado dos nossos agentes quando, por capricho de outra grande escritora, caíram nas mãos do brilhante e insano Hannibal Lecter e nossa recompensa ao ver, em meio ao desespero, que apenas as três palavras mais esperadas por nós nos nove anos de série, foram suficientes para tirar do abismo a bela agente ruiva, presa em Palácios de Éter ? 
E essas nossas escritoras ainda respondem por alguns dos momentos de grandes gargalhadas sufocadas para não chamar a atenção de algum chefe mais atento ou um parente desconfiado. Quem não morreu de rir nas insólitas cenas da fic Eterna ou em conversas perdidas nos fóruns ? 

Do prazer da escrita, surgiram momentos e personagens inesquecíveis que ganharam vida própria baseando-se em amigas que emprestaram características marcantes de suas personalidades para que terroristas ganhassem charme e bom humor.
Ainda sob o domínio da pena exigente de Alexandra Morgilli em parceria com nossa querida Silvia, mães zelosas que tecem o fio do destino das mercenárias mais humanitárias que conhecemos , pudemos ver imortalizadas as frases mais engraçadas, os trejeitos mais característicos e as situações mais irreais de cinco velhas conhecidas nossas.

E talvez esteja nas mãos da Silvia não deixar que Arquivo X se perca nas prateleiras do esquecimento. Com seu entusiasmo romântico e sua delicadeza no trato, ela responde por textos premiados com o carinho e o reconhecimento de seus fãs. Ainda guardamos viva a imagem de Mulder preso aos braços da misteriosa Atena e ainda suspendemos a respiração ao imaginar que nossa Scully pudesse sucumbir ao charme do rato mais desejado do seriado. Altíssima traição...

Ou quem sabe a responsabilidade pela preservação do nosso seriado seja da colecionadora de mundos e maçãs que criou o ambiente perfeito para nossos sofredores corações shippers? Não fosse o Shipperx, talvez pudéssemos estar dispersos nos mais variados links sobre a série, sem identidade ou um lar.

E nossa menina Késsia não só nos reuniu como nos levou a passear pela Lua, as Estrelas e o Mar ou Entre o Céu e a Terra, momentos inesquecíveis que marcaram a evolução da escrita singela de poucas páginas para o texto elaborado de cenas emocionantes ao ponto de tornar úmidos os olhos mais críticos.

Poderia passar horas ou lautas comentando textos imperdíveis do nosso mundo excer, como a delicadeza caprichosa das linhas traçadas pela Mônica Almeida, ou os textos impecáveis da Verônica, a excitação nem um pouco contida de nossa elétrica e dramática Graça, ou ainda a poesia dos textos do Lucas Zago , da Wanilda Valle ou da Meggie. 

Sem esquecer a precisão e riqueza descritiva e emocionante da Agente Paty, que nos remeteu ao longínquo ano de 1942, colorindo com sua habilidade os tons preto, branco e cinza de Casa Blanca, numa das caracterizações mais perfeitas dos textos excers.
E quantos mais surgiram e se foram, deixando-nos de presente o germe de seus talentos gravados em nossas mentes e computadores.

Mas, embora a Maíra insista em nos convencer que a Morte é senhora de todos - e o faz com uma competência rica em detalhes e emoção que denunciam sua intimidade com as palavras - ainda podemos viver desses textos memoráveis e preciosos que estão em todas as letras do alfabeto shipper. Basta que para isso entremos no site.
No final, acho que cabe a todos nós manter esse momento vivo. 

Então vamos lá, escolhamos nossos melhores episódios, ou comecemos do primeiro momento em que um toque de mãos passou a ter um sem número de significados, tomemos nossos textos preferidos e continuemos a sonhar porque, em Arquivo X, nada nem ninguém morre de verdade ou para sempre.

Eu, daqui, pretendo começar hoje mesmo. Em breve, começando pela letra A ( poderia começar pelo X, mas ninguém se atreveu a intitular uma fic iniciada por essa letra mágica para nós ) espero convidá-los a relembrar nossos melhores momentos vividos em Arquivo X, através dos textos inspirados e inspiradores que ele fez nascer.


Grande beijo

Sky
 

Leia aqui os reviews escritos pela Sky: